A medicina preventiva

Alberto Pinto Hespanhol, Luciana Couto, Carlos Martins

Resumo



Introdução: Segundo a Carta de Ottawa (OMS, 1986) a Promoção da Saúde consiste no processo que visa criar condições para que as pessoas aumentem a sua capacidade de controlar os factores determinantes da saúde, no sentido de a melhorar. A Prevenção é uma das principais componentes da promoção da saúde. Contudo, a sua aplicação pode levantar múltiplos problemas éticos passíveis de interferir de forma significativa com o resultado final.
Conteúdo: Neste contexto, à luz dos princípios da ética médica, discute-se a abordagem de alguns tópicos relacionados com a prática clínica da Medicina Geral e Familiar actual: os factores de risco, a educação para a saúde, a vacinação como forma de prevenção primária da doença, os rastreios como forma de prevenção secundária da doença e o modelo da consulta médica.
Conclusão: A reflexão sobre alguns dos dilemas éticos que envolvem a prática clínica da Medicina Geral e Familiar é pertinente e espera-se que possa contribuir para melhorar a forma como se aplica a prevenção na prática clínica. Neste âmbito, assume particular importância a evolução que se tem assistido no modelo da consulta e na forma como a decisão médica é tomada.

Palavras-chave


Ética Médica; Medicina Geral e Familiar; Medicina Preventiva; Promoção da Saúde, Educação para a Saúde

Texto Completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.32385/rpmgf.v24i1.10462

Apontadores

  • Não há apontadores.


Copyright (c)