Apontamentos de anatomia e fisiologia da lactação

Adelaide Órfão, Cristina Gouveia

Resumo



O tamanho das mamas está relacionado com a quantidade de tecido mamário e depósitos de gordura intra e inter lobular, mas não reflecte a sua capacidade funcional.
As principais hormonas que regulam a produção de leite são a prolactina, a oxitocina e o FIL (factor inibidor da lactação).
Preocupações como o medo de não ter leite suficiente inibem a oxitocina e dificultam a lactação.
O lactente pode regular a composição do leite obtido se puder modificar três factores: o tempo de intervalo entre as sucessivas mamadas, o volume de leite ingerido de cada vez e o acesso livre ao leite produzido por uma só mama ou nas duas.
De acordo com os estudos observacionais mais recentes, o RN de termo, saudável, quando colocado sobre o abdómen da mãe, desloca-se de forma reflexa e adapta-se autónoma e perfeitamente a uma das mamas sem causar qualquer desconforto/dor à mãe. Este comportamento autónomo do bebé parece ainda estar associado a um maior grau de satisfação materna e prolongamento da amamentação.
Dada a especificidade de cada díade mãe-bebé a gestão pelo cliente parece ser a resposta chave para o sucesso do aleitamento materno.

Palavras-chave


Anatomia; Fisiologia; Glândula Mamária; Gestão da Lactação

Texto Completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.32385/rpmgf.v25i3.10631

Apontadores

  • Não há apontadores.


Copyright (c)