Ansiedade e depressão em pacientes Portugueses com doença pulmonar obstrutiva crónica: um estudo multicêntrico, transversal

Cristina Jácome, Alda Marques, Raquel Gabriel, Joana Cruz, Daniela Figueiredo

Resumo



Objetivos: Avaliar sintomas de ansiedade e depressão em pacientes Portugueses com doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC) e fatores preditores associados.
Tipo de estudo: Estudo multicêntrico, transversal.
Local: Três centros de saúde e um hospital distrital da região centro de Portugal.
População: 302 pacientes com DPOC.
Métodos: Os sintomas de ansiedade e depressão foram avaliados através da Escala de Ansiedade e Depressão (HADS). Pontuações ≥8 foram consideradas clinicamente significativas.
Resultados: Esta amostra de pacientes tinham em média de 67±12 anos de idade e 41,1% era do género feminino. A DPOC era de grau ligeiro em 106 (35,1%) pacientes, moderado em 106 (35,1%) e grave-a-muito-grave em 90 (29,8%). Sintomas de ansiedade clinicamente significativos estavam presentes em 53,3% dos pacientes e sintomas de depressão em 45,4%. Os sintomas de ansiedade estavam associados a limitação nas atividades (OR 1,39, 95% CI 1,04-1,84), idade (0,97, 95% CI 0,94-0,99) e género feminino (OR 0,37; 95% CI 0,20-0,66). Os sintomas de depressão estavam associados à mobilidade funcional (OR 1,91, 95% CI 1,38-2,66) e a limitação nas atividades (OR 1,12, 95% CI 1,04-1,21).
Conclusão: Uma elevada proporção de pacientes com DPOC experiencia sintomas de ansiedade e depressão. Os programas nacionais de reabilitação respiratória deveriam incluir intervenções colaborativas de autogestão que respondam a estas necessidades emocionais.

Palavras-chave


Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica; Ansiedade; Depressão

Texto Completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.32385/rpmgf.v31i1.11428

Apontadores

  • Não há apontadores.


Copyright (c)