Reabilitação respiratória: a abordagem holística da pessoa com DPOC

Maria Sampaio

Resumo


A reabilitação respiratória assume-se, nos dias de hoje, como um pilar fundamental no tratamento da doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC). Ao adotar uma abordagem holística da pessoa, tendo em conta as várias manifestações sistémicas da doença, consegue melhorar sintomas, exacerbações, capacidade funcional e vertente psicossocial, promovendo uma melhoria global da qualidade de vida.

As evidências atuais apontam para um benefício na introdução deste programa a partir do momento em que a doença é sintomática e causa impacto nas atividades de vida diária. Este quadro corresponde frequentemente a graus de obstrução do fluxo aéreo ainda moderados – grau GOLD 2 - e a reabilitação nesta fase permite uma maior estabilização ou mesmo regressão das manifestações sistémicas da doença. A capacidade de resposta dos serviços hospitalares que oferecem este tipo de programa é, contudo, muito escassa, limitando-se aos doentes em estádios mais severos - GOLD 3 e, sobretudo, GOLD 4. Torna-se, pois, fundamental investir em programas de reabilitação respiratória comunitários, inseridos nos Cuidados de Saúde Primários, de forma a aumentar a acessibilidade e equidade de cuidados a todos os que deles beneficiam.


Texto Completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.32385/rpmgf.v35i2.12013

Apontadores

  • Não há apontadores.


Copyright (c) 2019 Revista Portuguesa de Medicina Geral e Familiar