Avaliação dos Agentes Isolados e Perfil de Sensibilidade aos Antibióticos nas Uroculturas Efectuadas na Área de Influência e Região Envolvente da USF da Barrinha - Esmoriz

Tiago Carvalho, José Lima Nogueira, Inês Trigo, Constança Oliveira, Luís Melo

Resumo


A resistência aos antibióticos é uma ameaça à saúde publica, em parte, devida ao uso indiscriminado de antibióticos. As infecções do tracto urinário são as segundas mais frequentes na comunidade, sendo a Escherichia coli o microrganismo mais frequente. Para uma correcta terapêutica empírica é fundamental realizar a monitorização do perfil de sensibilidade aos antibióticos. Esse constitui o objectivo deste trabalho.

Realizámos um estudo do tipo observacional, descritivo e retrospectivo, no qual foram avaliados os resultados laboratoriais das uroculturas efectuadas entre 1/7/2015 e 30/6/2017 em vários postos de colheita do Laboratório Unilabs, na nossa área de influência. Com os dados fornecidos, foi avaliada a sensibilidade aos antibióticos dos agentes isolados, de forma global e por sexo.

Obtivemos 6584 uroculturas, das quais 14,4% positivas; destas, 74,3% eram referentes ao sexo feminino. A estirpe predominante foi a E.coli (61,03%), seguida de K. pneumoniae (7,81%) e P. mirabilis (6,23%). De forma global, os agentes isolados foram sensíveis à cefixima em 92,5%, à fosfomicina em 89,9%, à nitrofurantoína em 82,9%, e à amoxicilina/ácido clavulânico em 82,9%.

Os dados obtidos são concordantes com outros estudos e com as normas de orientação clinica da DGS confirmando a adequação destas recomendações à nossa população. Este trabalho representa uma importante contribuição para o conhecimento do nosso contexto epidemiológico, permite uma abordagem terapêutica das ITU’s dirigida e fundamentada e é decisiva para a redução das resistências aos antibióticos.


Texto Completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.32385/rpmgf.v35i5.12188

Apontadores

  • Não há apontadores.


Copyright (c) 2019 Revista Portuguesa de Medicina Geral e Familiar