Rastreio da infeção genital por Chlamydia trachomatis e redução da morbilidade feminina - Uma revisão baseada na evidência

Sofia Lages Trindade Fernandes

Resumo


Introdução: A infeção por Chlamydia trachomatis é a infeção sexualmente transmissível mais reportada na Europa e está associada à doença inflamatória pélvica (DIP), infertilidade, gravidez ectópica (GE) e dor pélvica crónica (DPC).

Objetivos: Avaliar a efetividade do rastreio da infecção por Chlamydia trachomatis em indivíduos sexualmente ativos, assintomáticos, na redução da morbilidade reprodutora feminina.

Fontes de dados: Medline, Cochrane Library, NGC, NICE, DARE, CMA Infobase, TRIP Database, USPSTF, DGS.

Métodos de revisão: Revisão sistemática segundo o modelo PRISMA de standards, guidelines, meta-análises, revisões sistemáticas (RS) e ensaios clínicos aleatorizados controlados (ECAC), na língua inglesa e portuguesa, publicados desde 2000 até Setembro 2016, utilizando as palavras-chave Chlamydia trachomatis mass screening. Foram também avaliadas as referências bibliográficas para deteção adicional de artigos, estas sem limite de data de publicação. Para avaliação dos níveis de evidência (NE) e de forças de recomendação foi utilizada a escala SORT.

Resultados: Foram seleccionados 17 de entre 553 artigos: quatro ECAC, duas meta-análises, duas RS e nove guidelines. Todas as guidelines recomendam o rastreio (SORT B ou C) cuja população-alvo varia conforme os fatores de risco incluídos, sendo os principais o género e a idade. As duas meta-análises corroboram a eficácia deste rastreio na redução de DIP, com evidência de qualidade moderada (NE 2). Contudo, as duas RS alertam para a necessidade de maior evidência que suporte o rastreio (NE 2). De entre os ECAC (NE 2), dois mostraram diminuição da incidência de DIP 1 ano após rastreio único e os outros dois com melhor qualidade metodológica não revelaram diferença estatisticamente significativa.

Conclusões: Existe evidência de qualidade moderada mas inconsistente e de difícil generalização sobre a eficácia do rastreio da Chlamydia trachomatis na redução da incidência de DIP.

Palavras-chave: “Chlamydia trachomatis”; “mass screening” 


Texto Completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.32385/rpmgf.v34i6.12249

Apontadores

  • Não há apontadores.


Copyright (c) 2019 Revista Portuguesa de Medicina Geral e Familiar