Passos da consulta e satisfação do utente: estudo observacional

Ana Luísa Marques Duarte, Ana Rita Silvestre, João Luis Milheiro

Resumo


Objetivo: Estudar a relação entre a execução de consultas estruturadas por passos e a satisfação do utente com a consulta, tendo como referência o modelo proposto no livro – “A consulta em 7 passos”.

Tipo de estudo: observacional analítico

Local: USF Andreas

Amostra: 70 utentes entre os 18 e os 85 anos que recorreram a consultas desta unidade em outubro e novembro de 2016.

Métodos: Foi solicitado a cada utente, após saída do gabinete, a resposta a um questionário sobre a satisfação com a consulta; e ao médico a resposta a um outro questionário relativo à sua perceção quanto ao grau de execução das diversas tarefas em consulta. Foi utilizado o teste de correlação de Spearman para relacionar a pontuação total do questionário ao médico e o grau de satisfação do utente. O mesmo teste foi utilizado para relacionar o grau de realização de cada tarefa e a satisfação. Por fim, esta análise foi repetida separadamente por grupos definidos com base nas variáveis sexo, idade, escolaridade, tipo de consulta, verbalização de sintomas/problemas e tempo de ligação médico-utente.

Resultados: 87% dos utentes declararam estar bastante ou totalmente satisfeitos com a consulta. No total da amostra não se identificaram correlações significativas entre a pontuação total do questionário ao médico e a satisfação do utente. Também não se encontraram correlações significativas entre o grau de realização de cada tarefa e a satisfação do utente. Contudo na análise de dados separada por sexo, tipo de consulta, verbalização de queixas e escolaridade encontraram-se correlações significativas entre a realização de algumas das tarefas da consulta e a satisfação.

Conclusão: O estudo indica que algumas tarefas sugeridas no modelo de consulta em 7 passos podem ter mais impacto na satisfação do utente com a consulta do que outras, em função das características do utente e natureza da consulta.


Texto Completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.32385/rpmgf.v35i4.12331

Apontadores

  • Não há apontadores.


Copyright (c) 2019 Revista Portuguesa de Medicina Geral e Familiar