O utente oncológico e a importância do médico de família.

Tiago Baptista, Raquel Gonçalves Ramos

Resumo


Introdução

Os cuidados paliativos (CP) definem-se como uma resposta ativa aos problemas decorrentes da doença prolongada, incurável e progressiva, na tentativa de prevenir o sofrimento que ela gera e de proporcionar a máxima qualidade de vida possível a estes doentes e suas famílias.1

Descrição de caso

O caso clínico reporta um episódio de cuidados por carcinoma gástrico que se desenrola ao longo de cerca de um ano. Relata-se o diagnóstico e seguimento da utente durante este período, a articulação entre vários níveis de cuidados, e em especial com os prestadores de cuidados paliativos.

Comentários

O caso descrito pretende realçar o papel central do médico de família na gestão do doente com necessidades paliativas bem como os desafios que decorrem desta gestão. Por outro lado, pretende-se ainda ilustrar a complexidade da disciplina de MGF, sendo que nele se identificam de forma clara as competências nucleares do MF e as suas 12 características fundamentais.

Texto Completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.32385/rpmgf.v36i1.12414

Apontadores

  • Não há apontadores.


Copyright (c) 2020 Revista Portuguesa de Medicina Geral e Familiar