A tuberculose em dez anos (1993-2002) nos concelhos de Gouveia e Seia

Luís Osório Gonçalves, Carmen Taboada Mella

Resumo



Objectivo geral: Caracterizar a infecção por tuberculose, entre 1993 e 2002, em dois concelhos da Beira Interior - Gouveia e Seia.
Tipo de estudo: Estudo de incidência com uma componente descritiva e observacional.
Local: Consultas do Centro de Diagnóstico Pneumológico (C.D.P.) do Centro de Saúde de Gouveia (C.S.Gouveia).
População estudada: Todos os doentes de tuberculose, residentes nos concelhos de Gouveia e Seia, que tenham sido acompanhados nas consultas dos C.D.P.s de Gouveia e da Guarda e tenham aí dado entrada entre 1 de Janeiro de 1993 e 31 de Dezembro de 2002.
Métodos: Estudaram-se as «fichas de registo de caso» existentes nos processos clínicos individuais das consultas dos C.D.P.s de Gouveia e da Guarda. Estas fichas haviam sido oportunamente preenchidas, em contacto directo com os doentes pelos médicos responsáveis pelas consultas. Seleccionaram-se apenas as variáveis que diziam respeito aos doentes e à sua doença.
Resultados: Foram seguidos nessas consultas 142 doentes nestes 10 anos. A taxa de incidência anual média (31,3/100.000) foi inferior à média nacional e parece ir lentamente diminuindo. A distribuição por sexos (dois terços do sexo masculino) foi sobreponível à nacional. Houve muito menos jovens e muito mais idosos do que a nível nacional: 35,9% tinham mais de 64 anos (no país 12,7%) e 39,4% tinham 15-44 anos (no país 64,3%). A classe social mais atingida foi a média baixa, com 56,3%. Em 83,8% dos casos houve atingimento do aparelho respiratório inferior. Em 20,4% dos casos havia alcoolismo crónico, em 7,7% diabetes e em 2,1% SIDA. Apenas
foi detectado um caso de multirresistência e outro de polirresistência. O estudo destaca quatro aldeias em que o número de casos e a idade mais jovem dos doentes as diferenciam do conjunto e três povoações em que o grupo dos alcoólicos foi particularmente atingido.
Conclusões: Ao contrário do que acontece a nível nacional, a tuberculose nos concelhos de Gouveia e Seia parece responder bem às medidas promovidas pelo C.D.P., esboçando-se uma progressiva diminuição dos casos anuais e predominando as idades altas, sugerindo tratar-se de recidivas. O primeiro caso de multirresistência, os três primeiros associados à SIDA, a elevada associação ao alcoolismo e a existência de quatro aldeias que se afastam do padrão local, são outros tantos desafios que se põem ao C.D.P. do C.S.Gouveia.

Palavras-chave


Tuberculose; Beira Interior; CDP; Medicina Familiar; Alcoolismo; Marginalidade; SIDA

Texto Completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.32385/rpmgf.v19i6.9988

Apontadores

  • Não há apontadores.


Copyright (c)