Sexualidade no terceiro trimestre de gravidez

Alexandra Queirós, Pedro Conde, Vera Cunha, Paula Ambrósio, Filipe J. Marques, Fátima Serrano

Resumo



Objectivos: Descrever a experiência sexual feminina no terceiro trimestre de gravidez.
Tipo de estudo: Estudo descritivo transversal.
Local: Consulta de Referência da Maternidade Dr. Alfredo da Costa - Lisboa, Portugal.
População: Amostra de conveniência de cem mulheres com gravidez de baixo risco, que não tinham restrições médicas na sua actividade sexual.
Métodos: As participantes completaram voluntariamente e em anonimato um questionário elaborado pelos autores respeitante a dados demográficos, história obstétrica, relacionamento sexual e esclarecimento/mitos sobre a sexualidade durante o último mês de gravidez.
Resultados: A maioria das grávidas refere diminuição da actividade sexual após engravidar, embora mantenha relações sexuais uma ou mais vezes por semana e coito vaginal no terceiro trimestre, sem mudanças significativas para outros tipos de comportamento.
Os factores que influenciam a redução da actividade sexual no terceiro trimestre são a diminuição do desejo, dispareunia e cansaço físico. Os mitos, crenças religiosas, nível de educação e dificuldade na informação sentida também parecem contribuir para a redução da actividade sexual. Frequentemente as grávidas indicam que o parceiro tem medo de prejudicar o bebé.
Poucas mulheres obtiveram informação através dos profissionais de saúde sobre este tópico e consideram que gostariam de ter sido mais bem esclarecidas pelos mesmos.
Conclusões: Os autores acreditam que na maioria dos casos a gravidez não provoca uma ruptura na sexualidade de um casal se esta era previamente satisfatória. No entanto, consideram importante a abordagem deste tema com a grávida por parte dos profissionais de saúde.

Palavras-chave


Sexualidade; Terceiro Trimestre da Gravidez

Texto Completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.32385/rpmgf.v27i5.10886

Apontadores

  • Não há apontadores.


Copyright (c)