Combater as alterações climáticas na medicina geral e familiar em Portugal

Inês Laplanche Coelho

Resumo


O impacto das alterações climáticas já se faz sentir na saúde dos nossos doentes e esta emergência de saúde pública pode vir a pôr em causa a estabilidade do nosso sistema de saúde. As mudanças no clima afetam praticamente todos os órgãos e sistemas, contribuindo para o aumento da incidência e prevalência de diversas patologias. Como médicos de família podemos assumir um papel ativo na mitigação e adaptação às consequências das alterações climáticas na saúde dos nossos doentes, no nosso sistema de saúde e na saúde do nosso planeta através da alteração dos nossos hábitos nas unidades de saúde, da promoção de mudanças de comportamentos e da consciencialização da comunidade em geral para este problema. Somos provavelmente a última geração a poder travar as alterações climáticas e, por isso, temos o dever de agir.


Palavras-chave


Alterações climáticas; Saúde global; Medicina geral e familiar

Texto Completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.32385/rpmgf.v37i2.12702

Apontadores

  • Não há apontadores.


Copyright (c) 2021 Revista Portuguesa de Medicina Geral e Familiar

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.