Uma nova visão para os cuidados de saúde primários, rumo ao desenvolvimento sustentável

Autores

  • Nuno Jacinto Médico de Família. Presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar. Lisboa, Portugal | Diretor Clínico para a área dos Cuidados de Saúde Primários, ULS Alentejo Central. Évora, Portugal.

DOI:

https://doi.org/10.32385/rpmgf.v40i1.14006

Palavras-chave:

Cuidados de saúde primários, WONCA

Resumo

Aproxima-se a passos largos a 25ª Conferência Mundial da WONCA, que terá lugar em Lisboa em 2025.

Num mundo em constante mudança, a Medicina Geral e Familiar vive também ela tempos de incerteza em vários locais do globo. A luta pela construção e afirmação da nossa especialidade em muitas nações contrasta com os vários ataques de que tem sido alvo em países onde pensávamos estar solidamente estabelecida, numa clara opção pelo facilitismo de quem apenas procura soluções imediatas (e erradas) para problemas complexos, tentando menorizar o valor e importância dos Médicos de Família ao promover falsas alternativas para uma função que todos sabemos ser insubstituível.

Hoje, mais do que nunca, é chegada a hora de a Medicina Geral e Familiar se afirmar como essencial para a obtenção de um sistema de saúde forte, coeso e de qualidade, contribuindo assim de forma decisiva para o desenvolvimento sustentável da comunidade global onde nos inserimos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia Autor

Nuno Jacinto, Médico de Família. Presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar. Lisboa, Portugal | Diretor Clínico para a área dos Cuidados de Saúde Primários, ULS Alentejo Central. Évora, Portugal.

Presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar. Lisboa, Portugal.

Médico de Família, USF Salus, ACeS Alentejo Central. Évora, Portugal.

Presidente do Conselho Clínico e de Saúde do ACeS Alentejo Central. Évora, Portugal.

Referências

-

Downloads

Publicado

2024-02-28

Como Citar

Jacinto, N. (2024). Uma nova visão para os cuidados de saúde primários, rumo ao desenvolvimento sustentável. Revista Portuguesa De Medicina Geral E Familiar, 40(1), 6–7. https://doi.org/10.32385/rpmgf.v40i1.14006