Varfarina: Uma revisão baseada na evidência das interacções alimentares e medicamentosas

Nuno Lima

Resumo



Introdução: A varfarina tem sido o pilar da terapêutica anticoagulante oral. A sua eficácia já foi comprovada em numerosos contextos na prática clínica.
Objectivos: Rever quais são as interacções alimentares e medicamentosas da varfarina.
Metodologia: Foi realizada uma pesquisa nas bases de dados British Medical Journal (BMJ) Clinical Evidence, Evidence Based Medicine online, National Guideline Clearinghouse, National Library of Guidelines,The Cochrane Library,DARE, Bandolier e MEDLINE, utilizando as seguintes palavras-chave (termos MESH): warfarin, drug interactions, food interactions e herbal interactions.
A pesquisa foi limitada a artigos escritos em inglês, francês, espanhol ou português e publicados desde Janeiro de 2003 até ao presente.
Foi também efectuada uma pesquisa no Índex de Revistas Médicas Portuguesas, com as seguintes palavras-chave: varfarina, interacções alimentares e interacções medicamentosas.
Para avaliar o nível de evidência foi utilizada a escala da American Family Physician (Strenght Of Recommendation Taxonomy - SORT): nível A (ensaios clínicos aleatorizados controlados/meta-análises); nível B (outra evidência) e nível C (consensos/opinião de peritos).
Resultados e discussão: Interacções alimentares: Os alimentos ricos em vitamina K estão envolvidos na interacção com a varfarina.
Não está indicada a sua evicção absoluta mas recomenda-se uma ingestão moderada e sem grandes flutuações.
Interacções medicamentosas: São numerosas e ocorrem por diversos mecanismos: (1) Diminuição da absorção da varfarina; (2) Potenciação/Inibição do citocromo P450 a nível hepático; (3) Diminuição da síntese de vitamina K endógena pela flora intestinal; (4) Inibição da agregação plaquetária; (5) Aumento do catabolismo dos factores de coagulação; (6) Indução dos factores da coagulação; (7) Mecanismos desconhecidos.
Interacções com produtos naturais: a erva de São João (chá de hipericão), em indivíduos saudáveis, aumenta a metabolização da varfarina e inibe, desta forma, o seu efeito anticoagulante.
Conclusão: São escassos os estudos com bom nível de evidência, sobre um tema tão importante como este. São necessários mais ensaios clínicos aleatorizados e controlados, de longa duração e de boa qualidade, sobre as interacções alimentares e medicamentosas da varfarina.

Palavras-chave


Varfarina; Interacções Alimentares; Interacções Medicamentosas

Texto Completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.32385/rpmgf.v24i4.10527

Apontadores

  • Não há apontadores.


Copyright (c)