DPOC: Estamos a Tratar os Doentes Conforme o Estado da Arte?

António Duarte Araújo

Resumo


A DPOC é a doença respiratória crónica mais comum, com uma prevalência estimada em 7,6 a8,9%[i] da população adulta e representando hoje a 4ª causa de morte a nível mundial. A sua elevada mortalidade é essencialmente devida às agudizações que requerem internamento hospitalar, e, nos doentes com hipercapnia e acidose respiratória, a mortalidade atinge 10%, chegando aos 40% um ano após a alta hospitalar. Dada a dificuldade clínica em prever, quer as exacerbações, quer os doentes com maior propensão a agudizar, e a elas nos anteciparmos, o correto tratamento da DPOC, a boa adesão à terapêutica, e a manutenção de uma correta técnica inalatória, parecem dever ser os principais motivos de preocupação do médico que trata doentes com DPOC.


[i] Nicholas G Csikesz, Eric J Gartman. New developments in the assessment of COPD: early diagnosis is key. International Journal of COPD 2014;9: 277-286




DOI: http://dx.doi.org/10.32385/rpmgf.v32i3.11485

Apontadores

  • Não há apontadores.


Copyright (c) 2016 Revista Portuguesa de Medicina Geral e Familiar