Multimorbilidade: impacto no exercício da medicina centrada na pessoa e no distress médico em medicina geral e familiar

Autores

  • Rita Regatia FMUC - Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra https://orcid.org/0000-0002-8362-4868
  • Professor Doutor Luiz Miguel Santiago FMUC – Faculdade de Medicina, Universidade de Coimbra

DOI:

https://doi.org/10.32385/rpmgf.v39i1.13418

Palavras-chave:

Multimorbilidade, Medicina centrada na pessoa, Ansiedade, Depressão, Medicina geral e familiar

Resumo

Introdução: A multimorbilidade (MM) é muito prevalente. A sua gestão origina sobrecarga em medicina geral e familiar (MGF) com implicações negativas na prática da medicina centrada na pessoa (MCP) e baixa os níveis de saúde mental (ansiedade e depressão) nos médicos de MGF, com impacto nos resultados em saúde. A MCP, reconhecendo holísticamente o doente, promove adesão ao tratamento, melhoria das consequências em saúde e bem-estar na saúde mental dos médicos, importante para melhor desempenho profissional.

Objetivos: Avaliar se a sobrecarga pela gestão da MM está associada à menor autoperceção da prática de MCP e a sintomas de distress psicológico nos médicos de MGF.

Métodos: Estudo observacional, transversal em amostra de conveniência de médicos de MGF aplicando um questionário online com o fator «Gestão da Consulta», do Questionário de Avaliação da Sobrecarga da Gestão da Multimorbilidade em MGF (SoGeMM-MGF), a dimensão «Compreender a pessoa como um todo», do Questionário de Autoperceção do Desempenho da Medicina Centrada na Pessoa em MGF, o Patient Health Questionnaire-4 (PHQ-4) e quatro perguntas de contexto. O estudo decorreu em agosto de 2021. Nas escalas, uma maior pontuação significa melhor estado.

Resultados: Amostra de n=151, 72% feminina, 45% com idade inferior a 35 anos. Verificou-se correlação negativa entre a pontuação «Gestão da Consulta» e «Compreender a pessoa como um todo» (ρ=-0,220; p=0,007) e correlação positiva entre a pontuação «Gestão da Consulta» e PHQ-4 (ρ=0,320; p<0,001).

Conclusões: Nesta amostra a sobrecarga pela gestão da MM associou-se a menor autoperceção da realização da MCP e a piores níveis e saúde mental nos médicos de MGF.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Prazeres F, Santiago LM, Simões JA. Defining multimorbidity: from English to Portuguese using a Delphi technique. Biomed Res Int. 2015;2015:965025.

Prazeres F, Santiago L. Prevalence of multimorbidity in the adult population attending primary care in Portugal: a cross-sectional study. BMJ Open. 2015;5(9):e009287.

Prazeres F, Santiago LM, Pereira PM, Santos PM, Cortinhal T. Multimorbilidade em medicina geral e familiar: construção e validação do Questionário de Avaliação da Sobrecarga da Gestão da Multimorbilidade em Medicina Geral e Familiar (SoGeMM-MGF) [Multimorbidity in general and family medicine: construction and validation of the Questionnaire of Evaluation of Burden of Management of Multimorbidity in General and Family Medicine]. Gaz Médica. 2019;6(4):221-7. Portuguese

Balint E. The possibilities of patient-centered medicine. J R Coll Gen Pract. 1969;17(82):269-76.

Pires P. Medicina centrada no paciente: melhor qualidade com menores custos [Patient centered care: better quality at less cost]. Rev Port Clin Geral. 2011;27(5):482-6. Portuguese

Chi WC, Wolff J, Greer R, Dy S. Multimorbidity and decision-making preferences among older adults. Ann Fam Med. 2017;15(6):546-51.

Santiago LM, Simões JA, Vale M, Faria E, Ferreira PL, Rosendo I. Auto perceção do desempenho da medicina centrada na pessoa em medicina geral e familiar: criação de um instrumento de medição [Self-awareness of performing patient-centered medicine in general practice/family medicine: development of a measurement scale]. Acta Med Port. 2020;33(6):407-14. Portuguese

Kroenke K, Spitzer RL, Williams JB, Löwe B. An ultra-brief screening scale for anxiety and depression: the PHQ-4. Psychosomatics. 2009;50(6):613-21.

Stewart M, Brown JB, Donner A, McWhinney IR, Oates J, Weston WW, et al. The impact of patient-centered care on outcomes. J Fam Pract. 2000;49(9):796-804.

Downloads

Publicado

2023-03-07

Como Citar

Regatia, R., & Santiago, L. M. (2023). Multimorbilidade: impacto no exercício da medicina centrada na pessoa e no distress médico em medicina geral e familiar. Revista Portuguesa De Medicina Geral E Familiar, 39(1), 37–44. https://doi.org/10.32385/rpmgf.v39i1.13418

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 > >>