Lipoatrofia semicircular: um caso clínico

Autores

  • Cláudia Sofia Almeida USF Baguim, ULS de Santo António. Baguim do Monte, Portugal.
  • Ana Sofia Tavares USF São Pedro da Cova, ULS de Santo António. São Pedro da Cova, Portugal.

DOI:

https://doi.org/10.32385/rpmgf.v40i1.13738

Palavras-chave:

Lipodistrofia, Microtraumatismos físicos, Caso clínico

Resumo

Introdução: A lipoatrofia semicircular é uma forma rara de lipodistrofia localizada nas coxas, formando uma banda horizontal, simétrica e bilateral. Apesar de a sua patogénese ser desconhecida existem algumas hipóteses descritas na literatura, nomeadamente: microtrauma repetido, lipólise eletromagnética, defeito congénito da artéria circunflexa femoral lateral e fatores relacionados com condições climáticas dentro dos edifícios. Descrevemos um caso de lipoatrofia semicircular numa jovem de 21 anos.

Descrição do caso: Mulher, 21 anos, trabalha na caixa de uma loja de animais, sem antecedentes de relevo e sem medicação habitual. Recorre à consulta aberta por depressão na face anterior das coxas com cerca de três semanas de evolução. Sem história de injeções no local da depressão. Com sensação de pernas cansadas. Sem outros sintomas associados. Apresentava depressão nas coxas, bilateral e simétrica, em banda horizontal. Assumido o diagnóstico de lipoatrofia semicircular, explicada a benignidade da situação e aconselhada a evitar o trauma na região da coxa. Reavaliada passados quatro meses, tinha feito as alterações aconselhadas e já não apresentava alterações de lipodistrofia.

Comentário: A lipoatrofia semicircular é uma condição benigna cujo diagnóstico é clínico, com alguns autores a complementarem o diagnóstico com a ecografia. O tratamento passa pela evicção do trigger inicial, quando encontrado. Para evitar esse trigger podem ser realizadas adaptações no local de trabalho. Em Portugal não existem casos relatados nas principais bases de dados. Este facto pode revelar que se trata de uma patologia pouco frequente, revelar pouca preocupação com esta alteração por parte dos doentes ou erro no diagnóstico. Por esses motivos, mesmo tratando-se de uma condição inócua, é importante o médico ter conhecimento da sua existência para uma maior eficácia diagnóstica e, consequentemente, um melhor aconselhamento e tranquilização do utente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Gschwandtner WR, Münzberger H. [Lipoatrophia semicircularis: linear and circular atrophy of the subcutaneous fat in the extremities]. Hautarzt. 1974;25(5):222-7. German

Cobo-Zafra MI, Yuste-Chaves M, Garabito-Solovera E, Santos-Briz A, Morán-Estefanía M, de Unamuno-Pérez P. Lipoatrofia semicircular inducida por presión [Pressure-induced lipoatrophia semicircularis]. Actas Dermosifiliogr. 2008;99(5):396-8. Spanish

Sigl J, Lázár M, Tittes J, Wendt J, Kancz S, Kiefer FW, et al. Lipoatrophia semicircularis: a distinct entity? Int J Dermatol. 2020;59(11):e385-7.

Verschaeve L, Maes A. Support for the hypothesis that electro-stimulation is responsible for lipoatrophia semicircularis. Med Hypotheses. 2009;73(5):802-6.

Herane MI, Urbina F, Sudy E. Lipoatrophia semicircularis: a compressive lipoatrophy consecutive to persistent mechanical pressure. J Dermatol. 2007;34(6):390-3.

Taleb E, Goldberg I, Sprecher E, Geller S. Semi-circular depression on the leg diagnosed by high-frequency ultrasound: a quiz. Acta Derm Venereol. 2021;101(8):adv00524.

Díaz Sarmiento R, Peña Rodríguez R, Asúnsolo del Barco Á. Lipoatrofia semicircular: una revisión sistemática de la literatura [Semicircular lipoatrophy: a sistematic review of the literatura]. Med Segur Trab. 2011;57(222):77-94. Spanish

Arunachalam M, Betti S, Galeone M, Grandi V, Difonzo E. Is lipoatrophia semicircularis a rare disease? Report of three cases. Australas J Dermatol. 2014;55(3):212-3.

Downloads

Publicado

2024-02-28

Como Citar

Almeida, C. S., & Tavares, A. S. (2024). Lipoatrofia semicircular: um caso clínico. Revista Portuguesa De Medicina Geral E Familiar, 40(1), 68–72. https://doi.org/10.32385/rpmgf.v40i1.13738