Duração da consulta: e quando se trata de um utente sem médico?

Autores

  • Helena Manso UCSP da Brandoa, ULS Amadora/Sintra. Brandoa, Portugal.

DOI:

https://doi.org/10.32385/rpmgf.v40i1.13997

Palavras-chave:

Acesso aos cuidados de saúde, Duração da consulta

Resumo

NA

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Santos CN, Pedrosa BF, Martins M, Gouveia F, Franco F, Vardasca MJ, et al. Duração da consulta: fatores influenciadores e perspetivas de médicos e utentes – um estudo transversal [Consultation length: influencing factors and doctors’ and patients’ perspectives – a cross-sectional study]. Rev Port Med Geral Fam. 2023;39(6):549-61. Portuguese

Administração Central do Sistema de Saúde. Bilhete de identidade dos cuidados de saúde primários [homepage]. Lisboa: Ministério da Saúde; 2024 [cited 2024 Jan 17]. Available from: https://bicsp.min-saude.pt/pt/Paginas/default.aspx

Cortez I. Desigualdade no acesso aos cuidados de saúde primários: a outra face das USF [Inequity in access to primary health care: the other side of family health units]. Rev Port Clin Geral. 2010;26(2):189-94. Portuguese

Broeiro P. Literacia em saúde e utilização de serviços [Health literacy and use of health services]. Rev Port Med Geral Fam. 2017;33(1):6-8. Portuguese

Silva DS, Macedo F, Quintal D. Medicina sem fronteiras: os desafios da população imigrante [Medicine without borders: challenges of the immigrant population]. Rev Port Med Geral Fam. 2022;38(3):315-21. Portuguese

Downloads

Publicado

2024-02-28

Como Citar

Manso, H. (2024). Duração da consulta: e quando se trata de um utente sem médico?. Revista Portuguesa De Medicina Geral E Familiar, 40(1), 97–8. https://doi.org/10.32385/rpmgf.v40i1.13997