Incidência anual de diabetes Mellitus em Portugal: resultados da rede médicos-sentinela, de 1992 a 1999.

Isabel Marinho Falcão, Paulo Jorge Nogueira, Zilda Pimenta

Resumo



Objectivos: Estimar as taxas de incidência anuais da DM, por grupo etário e por sexo, bem como o número de novos casos da doença, para a população portuguesa; estudar ainda as circunstâncias do diagnóstico, a hospitalização por suspeita do diagnóstico de DM e o tipo de DM (insulino-dependente e não insulino-dependente).
Tipo de estudo: Estudo de incidência.
Local: Centros de Saúde onde havia Médicos-Sentinela.
População: Utentes inscritos nas listas dos médicos de Clínica Geral que, de 1992 a 1999, integraram a Rede Médicos-Sentinela.
Métodos: Cerca de 200 Médicos-Sentinela exercendo a respectiva actividade em Centros de Saúde de todo o país, notificaram, semanalmente e de forma voluntária, todos os novos casos de DM ocorridos nos utentes das suas listas, de 1992 a 1999. Toda a informação foi enviada, em suporte de papel, para a divisão de Epidemiologia da Direcção-Geral da Saúde.
Resultados e Conclusões: estimou-se em 270,3/105 a incidência anual da DM em Portugal, no período 1992-1999 e em 26.810 o número de novos casos anuais da doença, dos quais 643 casos insulino-dependentes. Não se verificaram diferenças entre as taxas de incidência nos dois sexos, apesar da taxa no sexo masculino apresentar, no período em estudo, uma tendência crescente. A
hospitalização, por suspeita do diagnóstico de DM ocorreu, com maior frequência, nos diabéticos insulino-dependentes do que nos não insulino-dependentes.

Palavras-chave


Diabetes Mellitus; Médicos-Sentinela; Taxa de Incidência

Texto Completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.32385/rpmgf.v17i6.9857

Apontadores

  • Não há apontadores.


Copyright (c)