Dor crónica multifatorial e a abordagem holística do médico de família: a propósito de um caso clínico

Ana Rita Magalhães, Ana Peixoto, Pedro Miguel Teixeira

Resumo


Introdução: A dor crónica afeta cerca de 37% da população adulta portuguesa. É um desafio a todos os clínicos, pela sua natureza multifatorial e a quase sempre necessidade de envolver equipas interdisciplinares na sua abordagem. Os médicos de família (MF), pela posição privilegiada na capacidade de avaliar o utente como um todo, têm um papel preponderante, uma vez que detêm informação privilegiada sobre o ambiente familiar, comunitário e social. Este caso demonstra não só a importância da avaliação holística, mas também da abordagem interdisciplinar, que se traduziu na melhoria da dor autopercecionada inicialmente como um oito para três, segundo a escala numérica (EN). 

Descrição do caso: Sexo feminino, 59 anos, empregada hoteleira, antecedentes de artrite reumatoide, obesidade e gonartrosebilateral. Recorre a consulta programada com a sua nova MF por dor de início há anos, agravamento recente, predomínio lombar e membros inferiores, sem fatores de alívio ou agravamento identificáveis, que classifica basal como cinco, com picos de sete/oito na EN. São identificados, como problemas não conhecidos, hipertensão arterial (HTA) não controlada, perturbação depressiva e de ansiedade generalizada, não adesão terapêutica, doença venosa crónica. O acompanhamento decorreu regularmente ao longo de oito meses, com necessidade de investigar causas de HTA não controlada e consequente descoberta de síndroma de apneia do sono, capacitação e empoderamento da utente, tratamento farmacológico e não farmacológico da depressão major, envolvimento de psicóloga, nutricionista e equipa de fisiatria. O controlo da dor não se obteve inicialmente, apesar de terapêutica instituída segundo a escalada analgésica da Organização Mundial da Saúde. Apenas quando todas as patologias foram sendo abordadas de forma efetivamente interdisciplinar foi possível obter o controlo da dor desta utente.

Comentário: Este caso demonstra a importância da avaliação global da pessoa com dor crónica que veio a revelar várias patologias associadas, componente psicossomático marcado e necessidade de abordagens multi e interdisciplinares. Apenas perante a abordagem de todos os problemas de saúde se conseguiu devolver qualidade de vida e capacitação para lidar com as suas doenças, dolências e dor(es).


Palavras-chave


Dor crónica; Depressão; Medicina centrada na pessoa

Texto Completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.32385/rpmgf.v36i5.12670

Apontadores

  • Não há apontadores.


Copyright (c) 2020 Revista Portuguesa de Medicina Geral e Familiar