Perfil do orientador de formação: critérios de seleção (workshop)

Autores

  • Ana Cristina dos Santos Ferreira USF Costa do Mar, ULS Almada Seixal. Costa da Caparica, Portugal | Direção de Internato de Almada Seixal, CIMMGF LVT. Lisboa, Portugal.
  • Marta Marquês Direção de Internato de Almada Seixal, CIMMGF LVT. Lisboa, Portugal | USF Cova da Piedade, ULS Almada Seixal. Almada, Portugal.
  • Joana Oliveira USF Costa do Mar, ULS Almada Seixal. Costa da Caparica, Portugal | Direção de Internato de Almada Seixal, CIMMGF LVT. Lisboa, Portugal | Clínica Universitária de Medicina Geral e Familiar, Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa. Lisboa, Portugal.

DOI:

https://doi.org/10.32385/rpmgf.v40i3.13906

Palavras-chave:

Medicina geral e familiar, Orientador, Perfil do orientador de formação, Capacidade formativa internato

Resumo

O crescente número de orientadores de internato médico em MGF aumenta a capacidade formativa, o que não é acompanhado pela maior colocação de médicos internos na maioria dos locais. Assim, torna-se necessário estabelecer localmente critérios de seleção que garantam justiça e transparência no processo de atribuição de vagas para a colocação de novos internos. Com o objetivo de debater o tema entre orientadores realizou-se um workshop no Open Day do Orientador da ARSLVT, em maio de 2023. Convidados a selecionar as características que mais valorizavam, a partir de um processo de reflexão conjunta e metodologias participativas, os participantes sugeriram alguns sistemas mais objetivos de seriação de critérios aplicáveis ao orientador, à unidade e à equipa que o acolhe. Concluiu-se ser difícil a elaboração de critérios consensuais, uma vez que a valorização dos mesmos é subjetiva e decorre de experiências pessoais prévias e da realidade local.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Colégio de Medicina Geral e Familiar. Requisitos para obtenção de idoneidade formativa [Internet]. Lisboa: Ordem dos Médicos; 2019 Aug. Available from: https://ordemdosmedicos.pt/wp-content/uploads/2019/05/CIF-MGF-2019.08.01.pdf

Walsh A, Antao V, Bethune C, Cameron S, Cavett T, Clavet D, et al. Fundamental teaching activities in family medicine: a framework for faculty development [Internet]. Mississauga, ON: College of Family Physicians of Canada; 2015. Available from: https://www.cfpc.ca/CFPC/media/Resources/Education/FTA_GUIDE_TM_ENG_Apr15_REV.pdf

Committee of GP Education Directors. Guidance for deaneries/LETBs on the standards for GP specialty training [Internet]. London: Royal College of General Practitioners; 2014. Available from: https://gp-training.hee.nhs.uk/bucks/wp-content/uploads/sites/95/2021/09/Guidance_for_-Deaneries-on_the_Standards_for_GP_Training-FINAL-Jan_2014.pdf

Allen J, Swab I, Price E, Windak A. Framework for continuing educational development of trainers in general practice/family medicine in Europe [Internet]. EURACT; 2012. Available from: https://apmgf.pt/apmgfbackoffice/files/FrameworkCEDTGPFM.pdf

Guldal D, Windak A, Maagaard R, Allen J, Kjaer NK. Educational expectations of GP trainers: a EURACT needs analysis. Eur J Gen Pract. 2012;18(4):233-7.

Michels NR, Maagaard R, Buchanan J, Scherpbier N. Educational training requirements for general practice/family medicine specialty training: recommendations for trainees, trainers and training institutions. Educ Prim Care. 2018;29(6):322-6.

Lember M, Zebiene E, editors. EURACT Statement on selection of trainers and teaching practices for specific training in general practice [homepage]. EURACT; 2002. Available from: https://www.euract.eu/resources/view/euract-statement-on-selection-of-trainers-and-teaching-practices-for-specific-training-in-general-practice

Portaria nº 79/2018, de 16 de março. Diário da República. I Série;(54).

Carvalho F, Ventura T, Barroso R. Perfil de competências do orientador de formação [Skills of the residency trainer]. Rev Port Clin Geral. 2004;20(1):147-52. Portuguese

Fluit CR, Bolhuis S, Grol R, Laan R, Wensing M. Assessing the quality of clinical teachers: a systematic review of content and quality of questionnaires for assessing clinical teachers. J Gen Intern Med. 2010;25(12):1337-45.

Downloads

Publicado

2024-07-08

Como Citar

dos Santos Ferreira, A. C., Marquês, M., & Oliveira, J. (2024). Perfil do orientador de formação: critérios de seleção (workshop). Revista Portuguesa De Medicina Geral E Familiar, 40(3), 313–6. https://doi.org/10.32385/rpmgf.v40i3.13906

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)