Comunidade Formativa do Estoril: uma comunidade de prática centrada no internato médico e orientada para o futuro

Vanessa Sá, Magda Coutinho, Ana Póvoa, Rita Medeiros, Joana Santos, André Biscaia, Isabel Couto

Resumo


Introdução: Uma comunidade de prática consiste num grupo de pessoas que se unem em torno de um mesmo tópico ou interesse, trabalhando em conjunto para melhorar o que fazem através de interações regulares. A Comunidade Formativa do Estoril reúne o grupo de orientadores e internos de medicina geral e familiar e saúde pública da zona do Estoril, com o objetivo de alargar o seu leque de experiências e vivências, espelhando os princípios de uma comunidade de prática. Este artigo relata a experiência desta Comunidade e tem como principal objetivo dar a conhecer as suas práticas, incentivar a partilha de experiências entre grupos e inspirar a formação de novas comunidades.

Descrição: A Comunidade Formativa do Estoril nasceu no ano de 2015, composta pelos internos e orientadores de formação específica em medicina geral e familiar e de saúde pública de quatro das unidades funcionais do edifício de São João do Estoril do Agrupamento de Centros de Saúde (ACeS) de Cascais. Desde a criação da Comunidade, têm vindo a ser desenvolvidas várias atividades, como reuniões periódicas, elaboração do jornal e das I Jornadas da Comunidade Formativa do Estoril, entre outras. 

Conclusão: A Comunidade Formativa representa uma mais-valia para orientadores e internos, numa interação em que o todo é mais vasto do que a soma das partes. No caso da Comunidade Formativa do Estoril a proximidade originada pelo trabalho no mesmo edifício permitiu aos seus membros gerar este projeto, numa atmosfera colaborativa e de interajuda – uma comunidade frutífera, permeável ao que a rodeia e tendo sempre presente o desejo e a capacidade para evoluir através do contributo de cada novo membro e das interações que daí se criam.


Palavras-chave


Educação médica; Comunidade formativa; Internato e residência

Texto Completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.32385/rpmgf.v36i6.12735

Apontadores

  • Não há apontadores.


Copyright (c) 2020 Revista Portuguesa de Medicina Geral e Familiar